Encontre aqui o seu hotel | Destino   Check-in   Check-out  
Algarve: Cresce o turismo criativo e cultural   Mação: Pereiro prepara mar de flores   Castelo de Vide: Festival Andanças volta em Agosto   Porto: Seis instituições criam circuito turístico com bilhete único   Faro: «Moda» dos hostels chega a Faro   Vila Nova da Barquinha: Tenda templária no castelo de Almourol   Portugal: Produtos tradicionais promovidos no Intendente   Cartaxo: Mais bandas portuguesas no Reverence Valada   Barcelos: Olaria e figurado atraem visitantes a museu   Abrantes: Portugal na Primeira Guerra Mundial em exposição  

Aqueduto das Águas Livres

Pesquisar
[X] Fechar
Aqueduto das Águas Livres
Aqueduto das Águas Livres: Aqueduto das Águas Livres - Clique para ampliar
Calçada da Quintinha, 6 - 1070-225 Lisboa
Telefone: (+351) 218.100.215

URL: Aqueduto das Águas Livres

Aqueduto das Águas Livres
Classificado como Monumento Nacional, é um dos mais extensos sistemas de abastecimento de água existentes no mundo, alcançando os 58 quilómetros; o seu nome deve-se ao facto de as águas correrem apenas pela força da gravidade, isto é, livremente.

Foi em 1571 que Francisco de Holanda propôs ao rei Dom Sebastião a reconstrução de um aqueduto e da antiga barragem romana de Olissipo, para garantir o abastecimento de água à capital, mas foi só no reinado de Dom João V, em pleno século XVIII, que se decidiu avançar com a sua construção, tendo sido os seus custos integralmente suportados pela população de Lisboa através de taxas que incidiam sobre a carne, o azeite e o vinho.

As obras começaram sob a direcção do arquitecto Manuel da Maia e do sargento-mor Custódio de Vieira, sendo deste último a opção pelos arcos sobre o Vale de Alcântara; vale a pena referir que o Aqueduto das Águas Livres tem o maior arco em alvenaria do mundo.

O aqueduto, que ficou concluído em 1834, apesar de ter começado a abastecer de água a cidade de Lisboa a partir de 1748, evidencia influências góticas em pleno período barroco.

A galeria interior tem dois corredores que têm o nome de Passeio dos Arcos, pelos quais se podia caminhar e disfrutar de uma vista panorâmica, porém o elevado número de suicídios e assassinatos, pelos quais se tornou célebre o bandido Diogo Alves, levou a que a partir de 1844 fechasse ao público.

Actualmente, o Museu da Água, que tutela o aqueduto, organiza visitas e passeios em datas e horas que variam consoante as estações.






Ofertas especiais de última hora

Secções
Onde dormir (Lisboa)
274 unidades de alojamento (pousadas, hotéis, pensões, residenciais, motéis, apartotéis, apartamentos, aldeamentos, unidades de turismo rural e casas particulares).
Muitas das unidades listadas oferecem reservas electrónicas e descontos exclusivos para a internet, entre outras promoções.
O que fazer (Lisboa)
60 locais a visitar
Como chegar (Lisboa)
11 mapas detalhados
Onde comer (Lisboa)
379 restaurantes

Galeria fotográfica (Lisboa)
331 fotografias: papéis de parede (wallpapers) e postais
Publicidade
Destaque (Hotéis)
Hotel Príncipe Real Hotel Príncipe Real
Lisboa
Classe: $$$$ (100 a 150 euros)

O elegante Hotel Príncipe Real tem vista sobre o centro da cidade e fica a poucos passos de diversas atracções, estando situado perto do Bairro Alto, uma das zonas mais históricas de Lisboa.
Ofertas especiais de última hora
Publicidade
Destaque (Restaurantes)
Al Cantaro Al Cantaro
Lisboa

Do Norte e do Sul, das planícies e das terras altas, das ilhas atlântidas dos Açores e da Madeira, de lendários e misteriosos conventos e mosteiros, de palácios e casas de barro, chegam até nós as comidas e bebidas mais afamadas, algumas de tradição centenária e receita secreta, perdidas e guardadas que foram na memória e na raiz dos tempos.